quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Capítulo 4.

Dianna – Um passo, outro passo, um passo, outro passo. Mantenha a postura, filha. Um... dois...
Demi – Mãe, meu pés estão doendo.
Dianna – Não deixe esse livro cair da sua cabeça! Mantenha a coluna reta e vai. Esqueça da dor dos pés que logo passa. Um... dois... três... mais depressa!
Demi – Como quer que eu ande mais rápido?

Joseph – Com as pernas! – gritou de longe, até Dianna riu.

Demi – Cala a boca! – gritou de volta. – Você está feliz hoje mãe, o que te deu?
Joseph – Deve ser porque você ainda não reclamou de ter que usar salto hoje.
Demi – Escuta aqui seu filho da mãe...

Dianna – Demetria! – repreendeu – Só estou feliz porque a coroação está chegando e você esta ficando perfeita em desfiles.
Demi – Lembro-me de quando eu era da idade de Thomas, pegava uma coroa sua e saía desfilando pelo palácio com o papai...
Dianna – E agora você terá sua própria coroa.
Demi – Isso é meio estranho. Mãe, não sei se vou conseguir reinar isso sozinha.
Dianna – Eu vou te ajudar no que você precisar.
Demi – É mas... vamos combinar que você já está meio velha né? E quando você morrer?
Dianna – Acho que você já vai ter encontrado um rei para lhe ajudar. E você já saberá como reinar.
Demi – Ainda posso me casar? Tipo, depois de ser rainha?
Dianna – Dependendo da idade...
Demi – Eu não vou conseguir nem achar um rei! O único cara que eu vi até hoje na minha vida que seria “pegavel” é Joseph, mas é chato pra caramba então...

Joseph – Que fura olho, ontem mesmo tava tentando me arranjar com a Miley agora tá dando em cima.
Demi – Não to de dando mole, você foi só um exemplo. O fato é que – ela tirou o livro da cabeça e se virou para Dianna – minha melhor amiga é contratada e eu nunca pude namorar porque você não me deu uma vida! Quer que eu arranje um rei como? A dedo? “Olha, quero aquele ali, é bonitinho.”
Dianna – Eu fiz isso e deu certo.
Demi – Eu não quero ser obrigada a me apaixonar por ninguém, e também não vou me sentir obrigada a isso só porque fui eu que escolhi. Vou ficar pra titia.
Dianna – O que isso quer dizer?
Demi – Vou morrer sozinha e virgem. – Joseph segurou a risada.
Dianna – Não pode usar termos como este quando for rainha. – colocou o livro de volta na cabeça de Demetria. – Um... dois... ande Demetria!

...

Demi – OLHA O QUE EU ACHEI! – gritou correndo para dentro de seu quarto onde estava Miley e Anna.
Miley – O que?

Demi – O diário do meu pai. Tem um monte de coisa aqui. Anna, traga um suco de qualquer coisa.
Anna – Sim, princesa. – saiu.

Demi – Meu pai era tão apaixonado pela minha mãe... leia isso. – Demetria deu o caderninho para Miley e Joseph o arrancou de sua mão. – EI!

Joseph – Onde arranjou isso?
Demi – Estava enfiado no meio de uns livros na biblioteca.
Joseph – O quanto você leu?
Demi – Não muita coisa.
Joseph – Ótimo! Você não pode ler isso aqui.
Demi – Por que não? O que tem ai?
Joseph – Não é da sua conta.
Demi – Por que você sabe o que tem aí e eu não? Joseph, me devolve isso! Miley me ajuda!
Miley – Não me meta nisso.

Ouviram-se estrondos altos em volta do castelo. Já estriam acostumados. Sempre que havia algum anuncio importante, balas de borracha eram atiradas para o alto como demonstração de honra ou pedido de silêncio. Mas esse estrondo não era feito por balas de borracha e o anuncio a ser feito não era um dos melhores.

Demi – Que barulho foi esse?
Joseph – Ah não! – ele largou o diário no chão e foi até a janela. Miley aproveitou o desleixo e chutou o diário para de baixo da cama.
Miley – O que está havendo?

A cena não poderia ser a pior. Portões quebrados, cavalos bravos correndo pelo gramado do hall de entrada do palácio, guardas e seguranças reais com espadas de metal fino e afiado em mãos, correria ao lado de fora e gritaria na parte de dentro.

Demi – O QUE ESTÁ HAVENDO? – gritou a menina em busca de respostas e se aproximou da janela.
Joseph – Não se aproxime da janela, é perigoso se te virem. – Thomas entrou no quarto, correndo e gritando de susto. – Cuide dele e NÃO SAIE DESTE QUARTO está bem?
Demi – O querem? Quem são? – perguntou pegando o irmão no colo em tentativa de acalmá-lo.

Joseph – Não vai te acontecer nada, eu juro! Apenas fiquem aqui, prometo que volto logo. – disse saindo do quarto e correndo pelo longo corredor que dava acesso a sala onde Demetria geralmente ensaiava sua coroação. Corria em busca de alguém que desse cobertura na fuga, antes que o inimigo a encontrasse.


MIL desculpas pela demora, mas eu não estava conseguindo escrever nada, e pra completar, estou doente :)))

Comentem e marquem "oi eu li"

8 comentários:

  1. aaaaaaaaaaaaaaaaaa
    que perfeitoooo
    to doida para descobrir
    o que aconteceu...
    melhoras linda
    beijosss

    ResponderExcluir
  2. Adoreiii o Capitulo
    Melhoras pra vc
    Poste logo!! Bjs

    ResponderExcluir
  3. wwwwwwwwwwwwwwwwwwwooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooowwwwwwwww finalmente açao, ja imagino Joe e Demi sozinho escondidos e ela se encantando por ele *_* o irmao dela vai tbm?

    ResponderExcluir
  4. Super anciosa pro próximo,não precisa se desculpar,pra mim desde que você poste tudo otimo! Melhoras linda,bjos

    ResponderExcluir