terça-feira, 8 de maio de 2012

Capitulo 110 – Não vai ser um adeus.

#6:02pm

Demi on:
Minha mãe me obrigou a ir a casa da tia Denise com ela, mas de sinceramente eu não queria. Dallas veio com todo aquele papo besta de que eu iria deixar O bebê magoado se eu não fosse nem me despedir dele. HAHA, até parece... ele que tá indo viajar então ele que tem que se despedir de mim, não é?
Mas também não faço questão, já estou até vendo o rio de lágrimas que minha vida vai virar assim que ele for. Eu não quero chorar, mas eu sou fraca com esse tipo de coisa trágica. Coisa trágica? Ok, eu choro pra tudo. Mas acho que também não aguentaria ficar sem dar “tchau” – risos – Ok, vamos ao “adeus” que eu espero que seja somente um “até mais”.
Demi of.

Assim que Denise abriu a porta, Demi sentiu aquele frio na barriga de “está chegando a hora do pior momento que talvez seja o da minha VIDA.”, mas disfarçou com um sorriso fraco. A abraçou e entrou seguida por sua mãe.

Demi – AAAAAAwn, eu tenho a sogra mais linda desse mundo, fala sério. – abraçou Denise do lado.
Dianna – Te amo tá Demi?
Demi – ÊE ciúmes!
Denise – Ai meu Deus, e eu tenho a nora mais fofa do mundo.
Demi – Eu sei. – joga cabelo pra trás.
Denise + Dianna – ri.
Demi – Cadê meu bebê?
Dianna – Sabia que ela queria alguma coisa!
Demi – MÃE!
Denise – Deve ter dormido no sofá. Chegou cansado .

Demi foi até ele que estava deitado no chaise do sofá, fez carinho no rosto e deu um beijo na testa.

Joe – Eu estou acordado, to cansado e não quero que pare com o carinho. E quero a minha travesseira.
Demi – Bonito hein Denise, é só ele arranjar uma namorada que você para de cuidar e deixa esse manhoso encima de mim!
Denise – Eu não sei porque ele está tão manhoso assim!
Joe – Porque não estou fazendo uma Demi de travesseiro!
Demi – Ai Deus!

Ela se sentou ao lado dele com as pernas esticadas.

Demi on:
Só senti aqueles braços envolvendo toma a minha cintura entre eles, deitou sua cabeça no meu peito e suspirou, o vi fechar os olhos... minha mãe e a tia Denise foram pra cozinha.
Fiquei fazendo carinho atrás da orelha esquerda do Joe. Por quê? Não sei, só deu vontade... mas acho que ele gostou, porque quando eu parei ele pediu pra eu continuar! Claro que eu continuei...
Demi of.

Demi – Gostou do carinho foi?
Joe – Gostei... – ele disse manhoso. – Meu Deus, não posso dormir... a viagem é longa, prefiro dormir no voo do que ficar no tédio.
Demi – Tadinho dele... se sente bem, Joe?
Joe – Sim, só um pouco cansado.

...

~celular da Demi toca~

Demi – Bebê, sai de cima! – Joe levantou um pouco a cabeça do peito dela, ela pegou o celular que estava na mesinha ao lado do sofá.

--------- Ligação -------
Demi – Oi pai!
Eddie – Oi filha, tudo bom?
Demi – Sim e tu?
Eddie – Tu? – ri. – Estou bem... onde você está?
Demi – Na casa da tia Denise.
Joe – Nossa, ela nem fala mais “na casa do Joe” – revira os olhos e Demi dá um tapinha na cabeça dele.
Eddie – Sua mãe está ai? Tentei ligar pra ela mas ela não atende o telenone...
Demi – Está sim, deixa eu passar pra ela...
Eddie – Obrigado filha, beijos.
Demi – Beijo pai, te amo.
---- Demi passa o celular a mãe ---

Demi – Seu idiota.
Joe – Sou mesmo...
Demi – Licença, quero água.
Joe – Não queroooooooooooo tá bom aqui.
Demi – SAI LERDO! – o empurrou.
Joe – Não! – ele a segurava forte enquanto a Demi o empurrava. – E para com isso se não eu faço cosquinhas.
Demi – JOOOOOE! Sai criatura! – conseguiu se soltar e se sentou bem na pontinha do sofá.
Joe – Não! – a puxou pra trás.
Demi – Já viu o tamanho da minha unha?
Joe – a soltou rápido. – Medo.
Demi – Valeu! – sorriu sapeca.

Ela só bebeu água, e foi para a varanda.

Demi on:
Se eu estou bem? Estou, muito bem... claro que estou né.. então... ME MATEM!
Tô péssima. Sabe aquelas cosquinhas que eu digo que odeio? Então.. EU AMO, mas vou negar isso eternamente! Vou sentir falta de tudo isso, de verdade...
Demi of.

Joe – Tudo bem pequena? – se sentou ao lado dela na grama.
Demi – Acho que sim... – apoiou a cabeça no ombro dele.
Joe – Triste? – mãos encostadas.
Demi – Sim, e com saudades.
Joe – Já?
Demi – Sim.
Joe – Só não chora tá, Dem? – Demi on: eu amo quando ele me chama de “Dem” / Demi of.
Demi – Não sei se consigo. – ela riu.

Ficaram um tempo em silencio...

Joe – Confessa uma coisa pra mim?
Demi – Como assim? – olhou pra ele.
Joe – Confessa pra mim que você ama minhas cosquinhas.
Demi – Não, não amo.
Joe – Ama sim. – andou com os dedos nela, a partir da coxa até a barriga.
Demi – Para! – segurou a mão dele.
Joe – Não, sei que você quer!
Demi – Não, para! – se ajoelhou ao lado dele.
Joe – foi com a outra mão subindo pelas costas dela só com dois dedos, fazendo “formiguinha”.
Demi – PARA JOOOOE! – ela se levantou e Joe ameaçou correr atrás dela.

Dito e feito. Saíram correndo as duas crianças em volta da piscina e Dianna e Denise morrendo de rir os olhando pela janela da cozinha. Até que Joe a alcança, puxa seu braço e a abraça forte a rodando no ar.

Joe – AAAAAAAAAAAAAAAAAA – grito. – ME SOLTA!

Ele parou de rodá-la e só a segurou forte (muito forte) ainda sem deixá-la encostar os pés no chão.

Demi – Joe, sério. Me solta, tá me deixando sem ar. Tenho asma... – a respiração já estava mais complicada.

Joe preocupado, a colocou no chão e a soltou de vagar.

Joe – Desculpa meu amor. Respira...
Demi – Tá tudo bem, só não faz mais isso...
Joe – Só queria te deixar irritada, não sem ar. – ele ainda a olhava com preocupação.
Demi – Você me aperta forme, machuca seu grosso!
Jos – Foi mal... mas que papo é esse de asma? Você disse que não tem “ataque de asma” desde os 12 anos.
Demi – Sim, isso porque eu fiz uma cirurgia que ajudou bastante. Mas depois de um tempo isso iria voltar. E esse “prazo de validade” – disse fazendo aspas com as mãos. – Está acabando, melhor eu fuçar atenta. Mas relaxa, são fraquinhos. Nada sério. – ela sorriu.
Joe – Agora fiquei preocupado... – a puxou delicadamente pela cintura.
Demi – Tô bem! Mas falta uma coisa. – faz carinha de bebê manhoso.
Joe – Posso tentar adivinhar?
Demi – Pode.
Joe – Um beijo?
Demi – Não quero só um, quero vários!

Joe começou a dar repetidos selinhos molhados e sorrindo entre eles. Depois se abraçaram.

Demi – Eu vou sentir sua falta. – uma lágrima caiu involuntariamente. – Ainda bem que ele não viu _ pensou.
Joe – Também vou sentir a sua, pequena. – beijo na cabeça.- Vai, sobe nos meus pés.
Demi – Não quero.
Joe – Vai chata!

Depois de insistir bem pouco, Joe subiu nos pés dele, e ele a levou até o sofá.

Joe – Vou te soltar. – nem deixou Demi responder e a soltou no sofá.

Apoiou o joelho no sofá, e foi engatinhando até chegar bem pertinho dela.

Joe on:
Tá que a minha mãe e a dela estão na sala mas dane-se, ela vai ter o pior ataque de cosquinhas da vida dela. Eu sei que ela gosta...
Joe of.

Ele começou a subir os dedos na cintura dela por dentro da blusa.

Demi – Não ouse fazer isso...
Joe – Ah, vou! – começou a dar beijinhos no pescoço dela, fazer mais cosquinhas... até que ela ferra as unhas na mão dele.
Demi – As minhas unhas estão enormes e não tem NENHUMA quebrada. – disse no ouvido dele dando ênfase no “NENHUMA”.
Joe – Merda. – disse baixo pra ela a fazendo gargalhar.
Demi – Vai, sai de cima! – o empurrou pelo peito.

...

Uma meia hora depois, Paul chegou, iria acompanhar os meninos na viagem. Foi tomar banho e Joe só colocou uma calça jeans para viajar. Voltou para sala e deixou que Demi se deitasse sobre o peito dele.

Demi – O Frankie vai também?
Joe – Depois de 3 horas implorando pra minha mãe o pirralho vai!
Demi – Tadinha da tia Dê!
Denise – Isso ia dar uma dor de cabeça...
Demi – ri. – Tadinho. Falando nele, cadê?
Joe – Deve tá moscando lá no quarto.
Demi – O Kevin vem pra cá?
Joe – Não, vamos até lá.
Demi – Que folga! E o Nick?
Dianna – Ele chegou quando vocês estavam se pegando lá fora.
Demi – Mãe, não tinha ninguém se pegando não. E se tinha foi culpa dele.
Joe – Você que pediu.
Demi – Cala boca infeliz! – sussurrou para ele e o beliscou.

Denise riu.

Demi on:
Estávamos com as duas mãos dadas, e ele me abraçava. Estava com a cabeça deitada sobre o peito dele, nem prestava atenção na novela, jornal, sei lá o que estava passando na droga da TV.  Estava só vendo o ponteiro do segundos do relógio andando, e só se passava pela minha cabeça o que aconteceria quando aquele tempo desembestasse e me tirasse dos braços do meu homem.
Não pude evitar e uma lágrima caiu, soltei uma mão dele e sequei minha bochecha. Joe olhou pra mim.
Demi of.

Joe - Demi? – segurou o punho dela.

Demi não respondeu.

Denise – Que fofa.
Joe – Bebê, não chora. Sabe que eu odeio te ver chorar.

Ela abaixou a cabeça e suspirou. Joe olhou preocupado para Dianna que piscou a ele.

Joe – Ei... – ela levantou a cabeça. – Acho que vou desistir dessa viagem. Demi chorou o mundo acabou.
Demi – sorriu. – Não! Não vou deixar você desistir desse sonho e dos meninos. Vocês sempre quiseram isso desde pequenos não foi? Não vou deixar acabarem com isso por minha causa! – sim, ela queria lhe dar um tapa.
Joe – O sonho tem que ser completo, sem você é só metade.
Demi – Vai! Realiza aquela parte do sonho, daqui um mês realizamos a outra. [fala baixo só para ele] Eu espero. [/fala baixo só para ele]

Ele beijou a testa da garota e a faz se deitar no peito dele novamente.

@ddlovato: Alguém sabe como parar o tempo?

...

Paul – Bom, vamos.

Demi on:
Meu chão caiu quando Paul disse isso. É, agora que tá tudo FO-DI-DO.
Demi of.

Joe – Cadê o mala do Nicholas?
Nick – Aqui! Só vou deixar essas malas no carro.

Demi se soltou de Joe.

Denise – Pegaram tudo? Documento...
Nick + Joe – Pegamos mãããe...
Denise – Cuidado com esses garotos hein Paul? E você meu bebê! – pegou Frankie da escada.
Frankie – Mããe, vai me chamar até quando de bebê?
Denise – Pra sempre.
Joe – Frankie, eu tenho 18 e a Demi ainda me chama de bebê, A DEMI CARA!  A mamãe também me chama.
Frankie – Não temos culpa de ser tão adoráveis.
Demi – Não tem mesmo! – ri. – E você Nicholas... de olho no Joe, ouviu? – o abraçou.
Joe – Como ela me ama, não?
Nick – Pode deixar Demi. – dizia enquando Demi enchia a bochecha dele de beijinhos.

Todos se despedem, menos Demi e Joe. (em frente a casa.)

Joe – Ei... - a puxa. – Minha vez... – prendeu Demi contra seu corpo.
Demi – Eu não queria, mas parece que é...
Joe – Vou sentir sua falta.
Demi – Vou sentir a sua também. Aproveita bastante lá e dê o melhor de si! Quero os Jonas em primeiro lugar na billiboard!
Joe – E se não conseguirmos?
Demi – Primeiro: vocês vão conseguir. Segundo: nunca mais repita isso. Terceiro: mesmo que não consigam, eu vou continuar te amando.

~selinho demorado~

Demi on:
Se eu queria que tivesse durado mais? Sim. Se eu queria que fosse mais? Sim. Ah, qualé, tava todo mundo olhando e eu morro de vergonha de beijo “quente” na frente de adultos, principalmente de parentes.
Eu fiz com que aquele beijo fosse o melhor, sabia que seria o ultimo.
Demi of.

Demi – Te amo, tá? Quero mensagem de boa noite todo dia!
Joe – E eu quero de “bom dia”.
Demi – Então tá combinado. – ri e dá um selinho rápido.
Paul – Ei, o tempo corre...
Demi – Desculpa. – sorriu envergonhada. Apertou a mão de Joe, estavam com os dedos entrelaçados. – Adeus?
Joe – Até mais... – ele sorriu confortando a garota em seu abraço.

Demi on:
Se foram, entrei em casa (da tia Dê) e me joguei no sofá olhando pro teto. Não pensava em absolutamente NADA.
Demi of.

@ddlovato: E a depressão começa... AGORA.

Uma lágrima cai.
------------------ continua --------------------

Consegui um tempo pra postar, THANKS GOD!
Quero todo mundo comentando... lala.
Beijemi. :*

5 comentários:

  1. Tadinha... =/
    Ela tinha que ir com ele pro aeroporto não? :s
    Pra se despedir. '-'

    Ta perfeito!

    Posta logo! s2

    ResponderExcluir
  2. hey vc pediu pra mim divulga seu blog rsrs eu divulguei baaaaaaaaaastante no twitter face.....
    pode ler o cap 14 ? http://jemiforeverbyyourside.blogspot.com.br/2012/05/jemi-forever-by-yourside-capitulo-14.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, obrigada neném!
      Li a sua e amei! >.<

      Excluir
  3. sério acho que eu chorei mais do que a Demi ! KKKKKKKKKKKKKKK u.u
    jemi NÃO pode acabar :/

    perfeito *-*

    ResponderExcluir