sexta-feira, 25 de maio de 2012

Capitulo 124 – Um “Jonas” apaixonado.

CAPÍTULO BIG E HOT
SÓ LEIA SE TIVER TEMPO E NINGUÉM POR PERTO
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

#7:28pm

Demi on:
Voltamos para a casa dele fazendo palhaçadas como se estivéssemos bêbados/drogados. Foi perfeita essa tarde!
Tomei banho e logo depois ele fez o mesmo. Coloquei uma saia que até dava pra dormir e uma blusa qualquer. Me sentei na cama dele pra pentear o cabelo e aquele menino me sai do banheiro seu camisa. MEU DEUS, QUE DELICIA. (tá parei) Ele tá malhando? O_O não tava com esse corpinho a um mês atrás. NÃO RECLAMO ‘-‘
Demi of.

Ele logo colocou uma camisa de botões e trancou a porta.

Demi – E isso é pra...? – se levantou.
Joe – Matar a saudade...

Pegou na mão dela e a puxou para mais perto. Envolveu os braços em torno as cintura dela e deu um selinho... deu outro... desceu a mão...

Joe – Mais uma diversão, tá de saia! – subiu a mão por dentro as saia e apertou a bunda dela. – E sem short... gostei. – sorriu safado e a colocou contra a parede.
Demi – Não quer... (interrompida)
Joe – Brincar um pouco? – riu safado na orelha dela. – Claro que quero. – mordeu a orelha dela, ela levou uma mão ao seu peito.
Demi – Meu Deus, Joe, já disse que tu tá uma delicia? _ pensou – Andou malhando, Jonas?
Joe – Pra você usar a abusar da maneira que quiser. – pegou a mão dela e colocou em sua barriga por baixo da blusa.
Demi – foi subindo a mão lentamente e falando pertinho do ouvido dele. – Olha que eu abuso... – riu sem medo.
Joe – Por que acha que eu disse isso?

Demi – Cuidado... eu também sei brincar, Jonas... Ou acha que só você sabe seduzir aqui?
Joe – Não sou só eu, gatinha. Você consegue me deixar louco... Eu quero o seu corpo na minha cama, agora. – apertou a cintura dela. A cada palavra deu um beijo em seu pescoço.

Ela o empurrou de vagar até ficar perto da cama.

Demi – Só não se excita muito não tá? Só quero brincar hoje.
Joe – Hoje... de madrugada fica por minha conta, eu já disse que você não vai dormir tão cedo. – deu uma volta nela e a jogou na cama. – Antes EU brinco.
Demi – Isso é tortura... – ele deu um chupão no pescoço dela, sabendo que ia ficar uma marca. – Joseph... – disse com a respiração ofegante. - Você nasceu pra me torturar...
Joe – Não, nasci pra ter amar. – os olhos dela brilharam.
Demi – E foi só o que você fez até agora... – subiu uma mão por dentro da camisa dele. – Meu Deus, eu to amando esse tanquinho. _ pensou e sorriu meio safada.

Demi on:
De sussurros safados no ouvido até apertões e beijos nos seios. Ele estava me matando aos poucos.
Eu não deixei isso por muito tempo. O empurrei deitado e fiquei por cima dele, ele encarava minhas pernas com um olhar malicioso, corei.
Demi of.

Joe – percebeu as bochechinhas rosadas. – Tudo bem? – riu.
Demi – Não é tão legal quanto parece você encarando minhas coxas...
Joe – São gostosas, desculpa. Não tem como não olhar. – acariciou as duas coxas subindo até um pouco dentro da saia e descendo até os dedos encostarem na parte de trás dos joelhos. Ficou fazendo esse movimento calminho de vai e vem enquanto ele a olhava.
Demi – Brincar agora perdeu a graça... – estava com os braços apoiados sobre o abdômen dele.

Joe – Verdade... mas nada que a madrugada não “cure”. – riu.
Demi – Talvez... – se deitou ao lado dele, colocou uma perna por cima do corpo dele, deitou a cabeça em seu peito uma mão no ombro.

Joe on:
Estava com saudades de ficar assim com ela... abraçados no silencio...
Com o braço do lado de onde ela estava deitada, fui subindo com carinhos nas costas dela e depois com cafuné na cabeça. Brinquei com o cabelo dela e percebi que ela ficou bem relaxada....
Joe of.

Demi – Eu tava com saudades desses carinhos... – fechou os olhos.
Joe – E eu com saudade de você deitada aqui, do jeitinho que estamos. – beijou a cabeça dela arrancando um suspiro aliviado da garota. – Só Deus sabe as horas de sono que eu perco brincando, acariciando e cheirando seu cabelo enquanto você dorme tranquila no meu peito...
Demi – Perde horas de sono? Como assim? – levantou um pouco a cabeça, Joe fez com que ela voltasse a se deitar como estava.
Joe – Sabe que eu sempre durmo depois que você dorme...
Demi – Eu não sabia. – riu.
Joe – Tá, agora sabe. – ri.- Enfim... o que eu mais gosto de fazer quando você dorme assim é brincar com o seu cabelo. É uma passagem só de ida pra pensar no nada e relaxar.
Demi – Awn Joe...
Joe – E também amo ver você dormir. Vou te contar um segredo...
Demi – Conta. – entrelaçaram os dedos com as mãos livres.
Joe – Quando não dava pra gente dormir junto, ou até mesmo quando seu pai encrencava... eu invadia a sua sacada, entrava no seu quarto, umas... sei lá, duas da manhã..? e ficava te vendo dormir por um tempão...
Demi – Mentira?! – levantou uma sobrancelha e se ajoelhou ao lado dele.
Joe – Verdade Deme.
Demi – Ele me chamou de Deme *-------------------------* _ momento pensamento cute da Demi.  – Seu gracinha. – ele sorriu.

Eles entrelaçaram os dedos e Demi viu a aliança em sua mão.

Demi – Esqueci disso... - tirou a correntinha de seu pescoço e colocou na mão dele. – Coloca de volta? Da onde nunca deveria ter saído?
Joe – se sentou, tirou a aliança da corrente e disse – Essa aliança vai sair do seu dedo, e eu espero que em breve. – colocou de volta e beijou a mão dela.
Demi – Como assim, Joe? – se assustou.
Joe – Um tempinho antes do nosso casamento. – ela sorriu. – Pra ser...

Jemi – Eterno... - ~le beijo~

Ficaram um pouquinho quietos...

Joe – Ainda são dez pras oito. Que tal pedir uma pizza? – se levanta. – Ver um filme... fazer nada... – deu a mão a ela e a puxou. – Mais tarde a gente brinca um pouquinho... – mordeu a orelha dela.
Demi – Vou pensar nessa ultima coisa que você sugeriu, o resto eu aceito. – mordeu o lábio inferior dele e puxou. – Vamos descer...

Desceram. Tinha um colchão de casal jogado no meio da sala em frente ao sofá.

Demi – É... vamos literalmente fazer nada hoje. Cadê sua mãe?
Joe – Tá no quarto, deixou a casa literalmente só pra gente hoje. – sorriu e pegou o telefone.
Demi – Nem tanto...
Joe – Vai pizza de...
Demi – Qualquer coisa que não tenha cebola!
Joe – Que fresca.
Demi – Você aceitava melhor as minhas frescuras. Voltou chato.
Joe – Não reclamo das suas frescuras. Elas te fazem, você é a frescura em pessoa.
Demi – É, voltou chato. – poker face
Joe – Não não não bebê, não fica brava. Eu adoro essas suas frescurinhas, vem cá. – a puxou e deu um selinho.
Demi – Joe, meu pescoço ficou marcado?
Joe – Tá um pouquinho roxo...
Demi –revirou os olhos e se jogou no colchão...

(um tempo depois)

Joe – Que coisa demorada...
Demi – Mais dez minutos e não paga nada!

~TING DOING~

Demi – Falei cedo.

~come pizza~

Demi – Que filme vamos ver?
Joe – Tava vendo aqui no pay per view e vai passar “Amor em Las Vegas”.
Demi – Putaria mode on né? – ri. – Nunca assisti.
Joe -  Nem eu, começa dez e meia.
Demi – Nada melhor do que ver uma novela antes disso. – eles riem.
Joe – E que tal depois um filminho de terror? “O Chamado 2”?
Demi – NEM MORTA! Já assisti o primeiro e foi um trauma! 7 dias... SETE DIAS PRA QUE PORRA? Tenho medo.
Joe – Vai... para de ser medrosa. Nem é tão tarde...
Demi – Que horas vai passar? – Joe sujou o nariz dela com catupiry. – Cê tem uma mania de me sujar com comida né? – pegou um guardanapo e se limpou.
Joe – Prefiro com brigadeiro ou chantilly... é mais divertido. – sorriu malicioso. – Parei. Vai passar uma e meia da manhã.
Demi – Ah, nem é tão tarde! Desculpa, não assisto.
Joe – Tá bom então... mas depois não reclama...

@ddlovato: Vou sim assistir filme de terror a uma e meia da madrugada ‘-‘ ‘-‘

Comeram por mais um tempo... arrumaram a bagunça com os pratos no meio da sala.

Demi – Jooooooooooooe... – disse manhosa.
Joe – Que foi bebê?
Demi – Faz brigadeiro? :3

...

Joe – Falou a viciada em brigadeiro...
Demi – Não é minha culpa de ser a forma de comer chocolate mias agravavelmente. Nossa, sem dicção nenhuma pra falar isso ‘-‘
Joe – Por isso que todo mundo de chama de lerda, mas é a minha lerda... – a colocou contra bancada e a beijou com desejo.

E aquela bela mão subia pela saia, mas ela não se importou.

Demi – Sua... sua mãe tá em casa Joe. Vai com calma. – segurou a mão dele paralisada em sua nádega, separando o beijo mega ofegante.
Joe – Não é fácil me controlar, morena. Tenho saudades pra matar... – beijou o pescoço dela.
Demi – Besta, acha que eu não tenho? Só vai com calma. – se sentou na bancada, ele a ajudou. – Sua mãe tá em casa... melhor não. Morro de vergonha quando tem gente em casa. Por favor, para!
Joe – Tá bom Dedê...

Ficaram falando sobre a idiotice do Joe enquanto ele fazia brigadeiro. ~pronto~

Joe – Vai ganhar brigadeiro na boca... - ~le brigadeiro pra Demi~ - Faço ou não o melhor brigadeiro do mundo?
Demi – Faz! – sujou o nariz dele com brigadeiro.

Até então, Demi estava sentada na bancada toda comportadinha na bancada com a parte de trás do joelho encaixado na quina da bancada.  Joe a puxou pela cintura, a fez abrir as penas e se encaixou entre elas.

Joe – Troco dado?
Demi – Sim. – limpou o nariz dele e saiu da bancada, mas ficou encostada nela.
Joe – É mais legal comer assim... – colocou um pouco de brigadeiro no pescoço dela e depois lambeu.
Demi – Você sempre tem um jeito de maliciar as coisas... – disse o empurrando.
Joe – Vai dizer que não é mais divertido assim, Demetria? – colou os corpos.
Demi – Deu pra me chamar de Demetria porque, Jonas?
Joe – É divertido te irritar.
Demi – E você consegue fazer isso com uma facilidade...
Joe – Eu sou tão irritante assim?
Demi – É. - ~brigadeiro~
Joe – E você não ama pessoas irritantes?
Demi – Depende...
Joe – Depende de quê?
Demi – De quem for. Se for você eu sou completamente louca. Se for qualquer outra eu juro que estapeava! – ri.
Joe – Ainda bem que eu não sou como qualquer outro... – desviou o olhar dela.
Demi – Nunca seria como qualquer outro, porque eu amo o SEU jeito de ser irritante.
Joe – Até meu jeito de ser irritante é foda.

Demi – E de ser metido também. – cruzou os braços.
Joe – Ei, porque esses braços cruzados e essa carinha emburrada? – ela revisou os olhos. – Eu quero esses bracinhos presos no meu corpo. – os soltou os colocando em volta da cintura dele. – E essa boquinha linda mostrando um sorriso ou me beijando. – roçou seu nariz ao dela, fazendo a garota sorrir. - Não podem ser de qualquer outro jeito.
Demi – Awn Joe, você é um fofo. Mas é idiota o suficiente pra não perceber que foi trolado. – sorriu e se soltou dele. – Acha mesmo que eu fico emburrada tão fácil?
Joe – Pelo menos sou fofo...  
Demi – Minha coisinha fofa, vem cá. – o puxou pela camisa e deu um beijinho de esquimó.

Ficaram mais um tempo se sujando de brigadeiro, se mordendo e fazendo guerrinha de chantilly.

Demi – Joe, chegaa! – rindo. – Já tem açúcar demais no meu cabelo! – Joe a segurava pela cintura depois de quase fazê-la cair no sofá.
Joe – Cê tá muito linda com a cara suja de chantilly Demeee! – passou a língua da bochecha dela limpando o chantilly.
Demi – Ai, chega. – o empurrou de leve. – Já fizemos bagunça demais!

Denise – Meu Deus, que bagunça é essa aqui? – descendo as escadas.
Joe – A culpa foi minha mãe. – Demi tirou o chantilly da mão dele. – Depois eu arrumo isso.
Demi – E onde a Dona Denise vai assim toda arrumada? – sorri.
Denise – Vou sair por ai... jantarzinho com o Paul.
Joe – Ui. Juízo vocês hein...
Denise – Frankie foi dormir na casa de um amigo e eu só volto amanhã...
Joe – Eta...

Demi estava vermelha de vergonha, com certeza Denise só iria sair para deixá-los a sós de propósito... foi só isso que passou pela cabeça dela.

Denise – Já vou indo... e como ninguém aqui é besta já sabemos o que vai acontecer o resto da noite... Se preservem hein crianças! Se não tiver tem no meu criado mudo.
Joe – Eu não sou tão irresponsável...
Denise – De você eu espero tudo.
Joe – Brigado mãe.. – reclamou.
Denise – Beijo pra vocês!
Jemi – Tchau.

Denise saiu.

Joe – Sabia que você tá MUITO vermelha?
Demi – Devo estar mesmo! Deus... – escondeu o rosto no peitoral dele.
Joe – Não se preocupa, minha mãe é sem noção mesmo...
Demi – Nossas mães... não lembra do “boa transa”? Essas mulheres tem problemas.
Joe – Falando em transa... – beijava o pescoço dela.
Demi – Dá pra parar? Seja romântico hoje, não safado! Tenho saudades do Joe fofo também!
Joe – Tá, mas não prometo nada até meia noite. Depois disso tu aguenta...
Demi – Vish... vou tentar tirar chantilly do meu cabelo. – subiu.

Demi on:
MEU DEUS O QUE FOI ISSO? A sala tá praticamente de ponta cabeça!
Ele fez o favor de passar chantilly em mim (eu dei o troco), brigadeiro, me fez cócegas (coisa que eu sentia falta sim, mas não contem a ele!), me jogou no sofá... meu Deus. Voltou mais palhaço do que era antes! Estou com duas marcas roxas no pescoço, isso porque nem deu 10:30pm ainda! Mas eu acho que saem fácil... vou tentar tirar esse açúcar do meu cabelo...
Demi of.

...

Joe – Conseguiu se “limpar”? – sentado no colchão encostado no sofá.
Demi – Tirei...
Joe – Vem cá minha bebê.- ela se sentou no colo dele e deitou a cabeça em seu ombro.
Demi – Eu amo quando você me chama de bebê.
Joe – Por isso mesmo que eu chamo, bebê. – os dois riem.

Depois de um tempo, Demi se virou para ele e colocou uma perna de cada lado do corpo dele.

Joe – Hum... eu to amando isso... – apertou uma coxa e beijou seu colo. – Você tá me provocando muito hoje, Demetria.
Demi – E daí? – tirou a mão dele da coxa dela. – Eu deixei?
Joe - num movimento rápido, Joe a deitou e ficou por cima dela, segurou seus pulsos do lado da cabeça dela. – E daí que você vai pagar caro por essas provocações. E como assim “eu deixei”? Esse corpinho – disse olhando todo seu tronco. – é minha propriedade. E só minha...
Demi – É NOSSA! – disse quase rindo.
Joe – Tanto faz! Fora você, só eu posso brincar, beijar causar arrepios. Só eu... – beijava seu pescoço como criança com chocolate derretido.

Demi – Não me tortura... vai mesmo me deixar presa? Sai de cima e me solta!
Joe – Não! Isso é um pagamento a troco por ter me provocado tanto hoje. – falava em seu ouvido, brincando com a língua em seu lóbulo. – Agora aguenta, gatinha.
Demi – Jo... Joe, para!
Joe – Eu sei que você que isso tanto quanto eu...

Joe on:
Continuei beijando seu pescoço, a vendo ter arrepios. Brincava com a língua e dava uns bons chupões, mas nada pra deixar a marca.

Joe – Se eu soltar suas mãos, promete deixá-las ai? – tirei meu rosto da curva do pescoço dela e a olhei.
Demi – Depende... ainda nem entendi por que me prendeu.
Joe – Quero te dar um troco bem dado, vamos brincar um pouquinho... mas eu não quero você arranhando minhas costas. Ainda... – eu a provoquei. – Se eu soltar, vai deixá-las ai, certo?
Demi – E se eu não deixar? – eu a soltei devagar – O que acontece?
Joe – Vai sofrer as consequências...
Demi – Qual o castigo?
Joe - Vou te matar de prazer a noite inteira que temos pela frente. E ela só esta começando... – falei em seu ouvido e mordi seu pescoço. – Se pergunte se vai aquentar... não tire as mãozinhas daí...

Voltei a beijá-la. Uma mão passeava por toda sua cintura, e com a outra apertava sua coxa.

Demi – Joe... – já tinha descido os beijos para o colo, e subindo uma mão firme por dentro da blusa.
Joe – O que foi, gatinha? – beijava seu pescoço perto da orelha quando vi ela tirar a mão esquerda da onde eu mandei ela não tirar. – Ei, onde vai essa mãozinha sapeca? Mandei deixar lá... – puxei o lóbulo de sua orelha e ela fechou os olhos.
Demi – Calma... – ela disse assustada. – Não vou fazer nada que não queira. – e só colocou a mão sobre o lençol que cobria o colchão. – Sou uma garota obediente, não sou? - perguntou preocupada.
Joe – Tem um jeito de me provar isso... só se quiser.
Demi – E como?
Joe – Tirando a blusa... – a olhei safado.
Demi – Joe... – vi um sorrisinho brotar.
Joe – Vai, garotinha obediente... – puxei o lábio inferior dela com os dentes.

Levei minha boca a dela a beijando fogorosamente, ela ferrou suas unhas em minhas costas me deixando mais animado, e com a outra mão bagunçava o meu cabelo. Subi a blusa dela (ainda a beijando) até um pouco abaixo dos seios. Ela se sentou, tirou a blusa me deixando um uma vista perfeita daqueles seios redondinhos na minha frente com um suta preto rendado, aquele que eu tinha tirado uma rendinha.
Ela ficou vermelhinha assim que eu encarei seus seios, eu estava perdido ali ‘-‘

Joe – Olha, o sutiã que arranquei uma rendinha... – voltei a beijar o pescoço dela enquanto ela apalpava meu cabelo e eu apertava o seio esquerdo. – Só arranquei uma renda dele por que você não deixou eu arrancá-lo por inteiro. Hoje vai ele todo, só pra deixar avisado.
Demi – Se eu deixar... – ela riu sapeca.
Joe – Ah... vai ter que deixar sim... vai ter que deixar. Eu mandei tirar a mãozinha dali? Vai sofrer o castigo... – mordisquei a barriga dela, descendo um pouco mais.
Demi – Pare por ai... – achei que ela não estava bem, subi até seu rosto e a olhei sincero.

Joe – Tá tudo bem?
Demi – Está sim. Mas quando começa esse castigo?
Joe – Mais tarde, não vou te torturar tanto assim...
Demi – Você disse que meu castigo ia ser me matar de prazer a noite toda, achei que já tinha começado por que você tá fazendo isso faz tempo... – disse no meu ouvido e mordendo a minha orelha.
Joe – Só vai dar as caras agora, senhora safada?
Demi – Olha! Cachorro... cala boca, é melhor... – dei um selinho nela.
Joe – Só assim pra eu ficar quieto.
Demi – Então continua assim... – ela me puxou pela gola da camisa me dando um selinho demorado e molhado, o que eu mais gosto... – Chega né?
Joe – O que? De brincar? – ela assentiu. – Não... tá cedo, o filme vai demorar pra começar... – continuei com a trilha de beijos que ia do seu ombro até o seio. Peguei sua coxa e apertei.

Demi – Ai! Eu ainda vou ficar com a marca dos seus dedos na coxa, Joe!
Joe – Apertei forte, gatinha?
Demi – Apertou!
Joe – Desculpa. – beijei onde apertei.
Demi – Mas ele SEMPRE tem um jeito de maliciar absolutamente tudo!
Joe – Nada a ver Dedê. Só estou aproveitando essas coxas grossas... – aquilo me satisfazia.

Demi – Coxa grossa? – ela me olhou estranha.
Joe – Sim... perfeitas.
Demi – Grossas ou gordas? – ela riu, não estava entendendo. – Grossa é uma coisa. Gordas no meu caso é outra.

OI? Ela tá mesmo se achando gorda? Tava tarde pra essa paranoia não atacar...

Joe – GORDA? – eu gargalhei. – Ok, conta piada de loira agora? – fiz cara de interessado.
Demi – Não to fazendo piada. Sabia que eu já ouvi: “Você não é bonita o suficiente pra namorar um Jonas. Ainda bem que ele terminou com você!”
Joe – Eu juro que mato quem falou isso – disse sorrindo sínico. – Não é bonita o suficiente pra um Jonas? – eu ri – Mas esse Jonas aqui é apaixonado pela baixinha frescurenta, linda e com um corpo perfeito.
Demi – Duvido!

Joe – Eu amar já não está bom? Quer que dia tudo que amo? – ela assentiu. – Então tá... Seu cabelo. Preto, brilhante, cheiroso... – mexia em seu cabelo – Bom pra ficar fazendo carinho enquanto você dorme.

Demi – Eu não sei se isso conta...

Joe – Conta sim! Faz parte do seu corpo e tudo tá valendo. – ela arregalou os olhos. – E fica quieta que eu só comecei! – desse sério e encostei minha barriga na dela, ficando por cima. – Sua testa. – eu estava levando aquilo a sério. Queria provar pra ela que ela é a mulher mais linda do mundo. Mas só MINHA. – É perfeita para eu dar aqueles beijinhos de boa noite e carinho... – beijei a testa dela – Seus olhos. Você deu sorte por que sabe que eu tenho uma bela queda por olhos escuros, me perco neles... ou melhor, me merco nos seus. Mas os seus são especiais e brilham quando me veem. Mostra que você me ama, e eu amo eles também... – beijei-os. – Seu nariz. – dei um beijinho na ponta dele. – Pequenininho, fofinho e perfeitos pra dar beijinhos de esquimó. – dei um beijinho de esquimó nela, enquanto ela sorria radiante. – Suas bochechas. – elas ficaram vermelhinhas. – São a coisa mais linda quando vermelhinhas... – soltei uma risadinha. – quando elas ficam assim, dá vontade de morde-las e enche-las de beijinhos. Macias, fofas e perfeitas pra um carinho... – acariciei com o polegar as maças do rosto dela. – Gosta?

Demi – Sim. – ela sorriu.

Joe – Suas orelhas. Mordo, beijo brinco... – me aproximei de seu ouvido e puxei a pontinha. – Você sempre fecha os olhos quando eu chego aqui perto... – beijei sua orelha. – É a espera de um pedido de casamento? – a senti tensa. – Calma... pode demorar um pouco, mas vai acontecer.

Demi – riu. – Você é um palhaço!

Joe – Eu nunca vou cansar de sussurrar que te amo e te encher de declarações de amor nelas, também sei que você nunca vai cansar de ouvi-las, ou vai?
Demi – Nunca! – eu dei um ultimo beijinho, desta vez na bochecha e a olhei.
Joe - Esse queixinho furado... – ela riu e eu passei o polegar na covinha do queixo.
Demi – Você sempre disse que ama minha covinha. – fez uma caretinha.

Joe – E como ela deixa seu sorriso especial. – ela sorriu e assentiu. – Aprendeu hein? Posso ser um chato repetindo que amo essa covinha. Eu amo morder esse queixo e te ouvir rindo na mesma hora. – mordi o queixo dela e ela riu, assim como descrevi. – Sua boca. Um paraíso... – puxei o lábio inferior dela. – Os dentes brancos me dão o sorriso mais perfeito que eu já vi em toda da minha vida.

Demi – Mas ele só existe por você, Joe. – ela disse e ficou vermelhinha.
Joe – E é só com ele que eu consigo viver. – eu sorri e juntei minha boca a dela. – Quero ter ele só pra mim pra sempre. – me afastei dos lábios dela.
Demi – Ele é só seu. – sussurrou carinhosa pra mim.

Joe – Essa língua quente... sempre que me toca, seja onde for, me faz perder os sentidos. Eu posso estar morrendo de frio, mas sei que basta essa sua língua ou seu toque – entrelacei meus dedos aos dela. – pra fazer o meu corpo ferver. – ela apertou um pouco a minha mão. – A melhor coisa da vida é quando nos beijamos.

Jemi – O mundo para!

Joe – Exatamente. O mundo para assim que nossos lábios se encostam... seus lábios rosados. – dei um selinho. – Carnudos, – outro – e apetitosos... você não sabe o quanto eu amo o seu beijo, Dem. Não consigo ficar muito tempo olhando para eles sem grudas os meus aos teus... – dei um selinho demorado. – Seu pescoço. Meu cantinho preferido para me esconder... – ela riu. – Esquio, longo e com o melhor cheiro do mundo. O SEU cheiro. Gosto de encher ele de beijinhos carinhosos, e como eu disse... me esconder neles, sentir seu cheirinho. Aqui é o teu ponto fraco, só eu sei tocá-lo, te deixar arrepiada.. te seduzir de formas que só eu sei. Entende agora porque eu não deixo mais ninguém tocar direito em você? – cheirei o pescoço dela e a vi arrepiar. Dei um beijo e continuei. – Seu ombro. lugar de deposito livre para beijos e mordidas. – ela riu. – Seu colo. Eu adoro deitar minha cabeça dele e fazer de travesseiro, é o melhor travesseiro do mundo sabia? – deitei minha cabeça nele enquanto ainda conseguia sentir seu cheiro. Ela levou a mão livre até minha cabeça e começou a fazer o carinho que eu tanto gostava, mas ainda prefiro quando ela faz atrás da minha orelha.

Peguei o controle e desliguei a TV. Fiquei deitado no colo dela por um tempo, sentindo aquele carinho, o arzinho saindo do nariz dela me deixando quente.

Joe – Eu estava com saudade de me deitar aqui, e ganhar carinho.
Demi – E eu estava com saudade de fazer carinho, seu carente...
Joe – Aqui é perfeito, é o meu cantinho e eu não vou deixar mais ninguém cochilar aqui. Só eu posso. – eu sorri, dei um beijo ali e a droga do telefone tocou. – Deixa tocar...
Demi – Não Joe... atende.

Me levantei e atendi. Era um cara do trabalho procurando pelo meu pai. Eu estava chegando nas melhores partes daquele corpo e a droga do telefone toca. Mas eu ia continuar... queria provar pra ela que ela tem um corpo lindo, mais perfeito do que qualquer outra mulher.

Joe – Chatisse... – ela tinha se sentado. – Não não, deite! Eu ainda não acabei.
Demi – Joe, por que tá fazendo isso? – ela sorriu fraco.
Joe – Pra você enfiar na sua cabeça, que não importa o que os outros dizem. – ela se deitou e eu fiquei por cima dela, como estava antes e lhe dei a mão. Lhe dava a mão porque a sentia nervosa, quando comecei a beijar seu pescoço ela apertou minha mão e se sentiu mais calma. – Você é perfeita, seu corpo é perfeito... e EU amo ele do jeito que ele é. Agora a dona frescurinha fica quieta! – dei vários beijos no seu colo antes de ir para onde eu mais gostava. Encarei seus seios e ela ficou coradinha. – Seus seios. Segunda melhor parte...

Demi – Segunda? – perguntou rindo.

Joe – Acho que você não vai querer saber qual é a primeira, pelo menos não agora. – ela gargalhou. Aquela gargalhada gostosa que ela acha irritante, mas eu acho divertida e adoro ouvi-la. – Tá, parei... – ri. – Médios, firmes e redondinhos. Cabem perfeitamente em minhas mãos. – soltei a mão dela para pegar um dos seus seios. Encarei o fecho do sutiã e ela me olhou meio preocupada. – Relaxa, eu são vou soltar agora. – bem que queria... sorri e disse – Sua barriga. - desci mais um pouco ficando de cara com sua barriga, enchi sua pele de beijos e a vi encravar as unhas no lençol. – Tudo bem?

Demi – Sim.

Joe – Ok, sua barriga... reta. – beijei. – Definida, perfeita pra encher de beijos. – ela sorriu e eu a beijei de novo. – Já deve ter percebido que eu amo te beijar, certo?

Demi – Certo. – ela riu.

Joe – Eu não beijo a olha dessa barriguinha proteger o nosso bebê. – a vi sorrir radiante, cheguei mais pertinho de seu rosto e a olhei nos olhos. – O NOSSO bebê. Ou nossos... só sei que quero pelo menos duas criancinhas lindas com os olhos da mãe pulando no meu colo e me chamando de “papai”. – desse alisando sua barriga e vendo seus olhos brilharem.

Demi – Então vai ter que achar outra mãe...
Joe – Já achei, ué. A mais perfeita e é você, e só você vai me fazer feliz. Por que achar outra?
Demi – Não sei que vou ser boa mãe.
Joe – Você é jeitosinha com crianças, mas a gente se vira.
Demi – Falando assim, VOCÊ não parece um bom pai. Criança é coisa séria, não é boneco que a gente “se vira” pra cuidar.
Joe – Eu vou ser um pai perfeito, ok?
Demi – Sempre quis filhos, Joe?
Joe – Confesso pra você, pequena... sempre foi um sonho ser pai. E eu quero essa barriguinha proteja meu filho. Nosso filho. – rocei meu nariz ao dela. – Pode ser?
Demi – me deu um selinho molhado, segurando meu rosto. – Pode. – sorriu radiante. – Eu te amo, Joe.

Joe – Também te amo, pequenininha. - escondeu os dentes e deu um sorrisinho fraco. – Me abraça. – ela colocou os braços em volta da minha cintura. – Seus braços. – os alisei. – Dão os melhores abraços, nascem deles os melhores carinhos e uns boas vibrações quentinhas pra eu conseguir dormir. – peguei uma de suas mãos e beijei. – Suas mãos. Dão os melhores carinhos, beliscões e donas da maioria dos arranhões que eu tenho nas minhas costas, ou melhor, TODOS. São mãozinhas de princesa, da MINHA princesa.

Demi – Você tá muito detalhista até agora...

Joe – Sou assim... mas a safadeza começa agora, gatinha. Achou que tinha se livrado de algo? Não me esqueci do combinado que não cumpriu. – soltei sua mão e desci até o meu paraíso. Melhor parte do corpo dela, sou safado mesmo! ‘-‘ – Posso ir pra minha primeira parte favorita? – sorri safado pra ela.

Demi – Tava demorando.............. Vai, Jonas... – ui, ela tava gostando.

Joe – fui baixando, fiquei entre as pernas dela. Dei um chupão na barriga dela que tinha certeza que ficaria uma marca. – Abre.- pedi. Ela abriu as pernas devagarzinho me deixando que eu tivesse a visão do meu paraíso. Eu não iria tirar a calsinha dela. Ainda... da mesma forma, dei beijinhos em sua intimidade por cima da calsinha mesmo. Vi ela encravar as unhas no lençol, sempre faz isso quando nervosa. – Ela é minha. Eu fui o seu primeiro homem e eu não vou deixar ninguém mais ser. Quando finalmente nos tornamos um só, eu me sinto em casa. E eu não deixo nem ferrando mais alguém invadi-la. Entendeu? – disse sorrindo. – Continuo falando dela mais tarde...

Demi – Céus Joseph, você não presta.

Joe – Suas pernas. Não tão longas. – disse me afastando de sua intimidade e apoiando os pés dela sobre minhas coxas e alisando elas. – Diferente das besteiras que você pensa, suas pernas não são gordas, são gostosas. Gostosas pra morder, beijar e apertar. Eu amo ficar passando as mãos nelas. – as alisei com carinho. – Sabe o que eu adoro? Quando você se senta no meu colo, virada pra mim me prendendo com suas coxas em minha volta. Melhor coisa do mundo... Enfim... – ela riu. – Seus pés. – os coloquei no meu peitoral. – Delicadinhos, cuidados e quentes. Quando dormimos abraçados, você sempre entrelaça esses pézinhos nos meus até ficarem quentes. – beijei a parte de cima dos pés dela. – Vira de costas pra mim?

Demi – Não me tortura!

Joe – Vira! – pedi manhoso. – São só uns carinhos... – ela virou de bruços. – Sempre que acabamos de fazer amor, você deita no meu peito e eu fico um tempão fazendo carinho nas suas costas. Isso te deixa calma, não é? – sussurrei em seu ouvido, acariciando suas costas desde a nuca até acurva da cintura.

Demi – Sempre... sempre me deixou.

Joe – Quando nos beijamos, eu gosto de te sentir colada em mim.. por isso que eu envolvo meus braços em sua cintura. Eu sou louco pelas suas curvas. – beijei suas costas. – Só não as use como arma.

Demi – Vou usar! – disse rindo.

Joe – Por ultimo, mas não menos importante... sua bunda. – ela riu. – Eu amo sua bunda! Redondinha, firme, e muito boa pra apertar... – fiz isso. – Gosta? – sim, ela gostou. – Eu ainda vou fazer muito isso. – subi sua saia mais um pouco e a apertei.

...

Achei que a tinha torturado demais, a vi tensa. Não entendi por que tanto, mas eu faria isso mais um milhão de vezes pra ela entender que é a mulher mais linda, gostosa e desejável do mundo.
Queria relaxa-la. Fiz pipoca e fomos ver o tal filme. Era legal... a cada intervalo ela fazia o que eu disse a ela que gostava... me prendia entre suas coxas. Eu colocava pipoca na boca e ela pegava com a dela me dando um beijo muito bom.
Quando o filme estava ora acabar, ela colocou a mão na minha barriga, com o punho dando-me a liberdade de ver tudo. Eu vi os cortes... coloquei o polegar sobre eles e os alisei. Ela tirou a mão na hora, me deixando sem reação.
Eu ainda não acredito que ela fez aquilo, não tinha nenhum motivo. Penso que na cabeça dela, foi só uma prova de que ela me ama. Besta, só um olhar dela e eu já sei que ela me ama. Preciso falar com a Selena...
Fiquei quieto fazendo carinho no cabelo dela até o filme. Quando acabou ela me pendeu de novo com as coxas dela.

Joe – Gostou? – fazia carinho nas coxas dela.
Demi – Gostei. – me deu pipoca na boca e deu umas passadas de língua no meu pescoço.
Joe  – Que isso gatinha? Mais provocação, maior é o castigo.
Demi – Poxa... achei que ia me livrar do castigo.
Joe – A garotinha “obediente” me desobedeceu...
Demi – Estou com medo de você, Jonas.
Joe – Deveria ter mesmo, as coisas vão mudar a partir de agora...
(todos achando que Joe é um puto, kk)
Demi – Mudar como?
Joe – Vamos lá pra cima, é melhor...
 
...

Demi – Então, o que é? – ela disse se sentando na cama e cruzando as pernas.
Joe – Você vai ter o seu castigo... – eu disse com os lábios em seu pescoço e apertando sua coxa, a fazendo descruzar as pernas. – Mas só se quiser, sabe que eu não gosto de te obrigar a fazer nada! – fiz ela se deitar na cama, apoiei meus braços na cama pra não fazer peso sobre ela.
Demi – Eu quero. – disse safada. – Mas o que muda? – ela já estava desabotoando minha blusa.
Joe – O que fazíamos... Demi, tem tantas formas de fazer uma mulher delirar de prazer na cama... e eu quero te ensinar todos. – disse beijando o pescoço dela.
Demi – Vishe Jonas, andou treinando em Maiami ou é vídeo pornográfico na internet? – eu a olhe sério e ela gargalhou.
Joe – Cala a boca, Demi. – voltei a beijar seu pescoço e entrando com minha mão por baixo da blusa dela.
Demi – Desculpa aê... – ela parou de rir. – Só... cuidado, tá?
Joe – Só te peço pra ficar calma...eu não vou te machucar. Só brincar um pouco. – rocei meu nariz ao dela e ela me beijou.
Demi – Espera. – me empurrou pelos ombros. – Tem camisinha aqui, né?
Joe – Deve ter... - voltei a beijar seu pescoço.
Demi – Melhor ver agora se tem, Joe.

Me estiquei até o criado mudo, abri a gaveta e vi se tinha...

Joe – Tem sim, bebê. Acha que eu sou um descuidado? – deitei por cima dela apoiando meu peso sobre a cama, dessa vez fazendo carinho em seu cabelo.
Demi – De você eu espero tudo.
Joe – Isso é bom o é ruim?
Demi – Depende de você.
Joe – o telefone tocou. – MAS É UM.............................
Demi – Atende! Odeio esse seu toque!
Joe – Não, nós rejeitamos a chamada... desligamos o celular... – levantei, fui até a estante e desliguei o meu celular e o dela. – E que se dane o resto... – eu me deitei e ela ficou por cima de mim, pra acabar o que estava incompleto.

Demi – Nossa, como você é sensível! – disse desabotoando minha camisa e mondendo o lábio inferior. Só queria me provocar, ela sabe que isso me mata. – Agora sim, visão perfeita. – disse passando a mão por todo meu abdômen.
Joe – Eu quero a MINHA visão perfeita também, gatinha. – a segurei pela quadril e a deitei na cama ficando por cima dela.

Ela roçou os lábios nos meus me dando um beijo prazeroso enquanto tentava tirar a camisa de mim, eu a ajudei e tirei a dela.

Joe – Esse sutiã ai é o meu favorito, sabia?
Demi – Sério? Eu achava que fosse aquele que abriu antes da hora.
Joe – Não. Aquele eu nem me dei o esforço de tentar tirar. Esse daqui foi uma luta. Gosto dos difíceis. – sorri malicioso encarando aquele corpo encultural.
Demi – Só não deixei por que tinha gente em casa, seu safado.
Joe – Obrigado. Mas é hoje que ele sai...

Nos nos beijamos por um longo tempo, minha única vontade era explorar cada cantinho daquela boca enquando ela sorria e bagunçava meu cabelo.
Desci a mão por toda a barriga dela e entrei um pouquinho por dentro de sua saia/calcinha. Senti aquela unha afiada sendo encravada nas minhas costas e um gemido baixo e minha boca.

Demi – Jo...- eu a calei com outro beijo.

Brinquei um pouco com os dedos em sua entradinha e a ouvia gemer cada vez mais alto.

Joe – Ainda te sinto meia fechadinha, Demi. Como se ainda fosse virgem... - rimos juntos, ao lemvrarmos da nossa primeira vez. – Relaxa gatinha...

Subi minha mão, acariciei seu ventre e fiz o contorno de toda sua cintura. Abaixei os beijos para o pescoço, colo, seios... até que cheguei no feixo.

Joe – Eu disse que tiraria... – abri o feixo com a boca e a fiz tirar ao mesmo tempo que abaixava sua saia.

Ela tentava tirar minha bermuda, eu a ajudei.
Joe of.

(me recuso a escrever mais que isso e ninguém aqui é besta pra se perguntar se acabou ai ‘-‘)

                                               [...]

Demi on:
Foi sem duvida nenhuma a MELHOR noite da minha vida. Eu ainda me impressiono ao ver o jeito que ele é todo carinhoso e se preocupa comigo nessas horas. *-*
Ficamos relaxando na banheira por um tempão... relaxando ou me fazendo engolir sabão, por que né...
Estou cansada ‘-‘ coloquei uma camiseta dele (saudades) e um shortinho que eu usava pra dormir. Voltei pro quarto e ele estava sentado na cama mexendo no celular dele.
Demi of.

Joe – Sono bebê?
Demi – A beê tá morrendo de sono! – disse coçando os olhos e se sentando no colo dele.
Joe – a fez deitar a cebça em seu ombro. – Shhh... - *ninando* (?)
Demi – Não exagera! – saiu do colo dele. – Sabia que eu tava morrendo de saudades de colocar uma camiseta sua?
Joe – Por que? – ele se deitou e Demi deitou sobre o peito dele.
Demi – Tem o seu cheirinho. – fechou os olhos.

Joe ficou um tempão brincando com o cabelo dela, fazendo carinho... ela se deitou na cama virada a ele, ficaram se olhando nos olhos.

Demi on:
Saudades de ficar encarando esses olhinhos claros. *-* fiquei fazendo carinho atrás da orelha dele (manhoso *-*) e vi ele fechando os olhos e relaxando a mão na minha cintura.
Demi of.

Demi – Nossa, gosta mesmo disso.
Joe – Me acalma... ~trovão~
Demi – E coeça a chover. ‘-‘ odeio dormir com chuva.

Ela se deito que barriga pra cima, deitada co braço dele. Mexendo no telefone e tentando não escutar o barulho de chuva.

@ddlovato: ODEIO dormir com chuva. NÃO-DÁ.

Joe – Não vai dormir mesmo né? – Joe encostou os pés dele aos dela.
Demi – Não. – desligou-se do twitter e fechou os olhos.

Joe on:
Só achei o momento certo pra cantar... ela estava cansada, pálpebras pesadas... mas um pouquinho e ela dormia. Eu cantei baixinho...

Hello beautiful
How's it going?
I hear it's wonderful in California
I've been missing you
It's true
--------------------- continua --------------  

Todo esse tempo que eu fiquei "ausente" eu estava escrevendo isso.
OMG cansei. É eu seu, ficou 1 merda. Só sei que fiquei a maior parte do tempo travada pra escrever isso.
Peguei inspirações de outras fics pra escrever esse capítulo, mas eu pedi autorisação do criador da Finfic original. Plmdds não me cheguem com "isso é plágio" '-'
Enfim... Tava com saudade de vocês *-*
Como cêis tão, cêis tão bem? Espero que sim...
Beijemi :*

19 comentários:

  1. QUE CAPÍTULO PERFEITO FOI ESSE?????? SÉRIO,SUPER VALEU A PENA1!
    JOSEPH VOLTOU SAFADO HEIN? AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAWN EU TÔ APAIXONADA POR ESSA FIC <3

    E PRA COMPLETAR AINDA COLOCOU MINHA MÚSICA NO FINAL!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito? awn u.u
      SAFADO? cê ainda não viu nada!

      Sua musica? Viciadinha em Hello Beautiful? awwwn <3 kk

      Excluir
  2. lindo demais esse capítulo!!!!! *.* não tenho palavras pra dizer o quanto gostei!! =) parabéns! tá lindo!

    ResponderExcluir
  3. AAAAAAAAAAAAA arrasou e ñ ficou uma merda tá perfeito , esse momento
    jemi foi muito lindo .
    Eu tbm fiquei com saudade , eu to bem , e vc ? kk'
    POSTA LOOGO POR FAVOR :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. êê haha thanks!

      Estavam com saudade de miiiim la la la la u.u
      Tô bem! kkk *-*

      Excluir
  4. QUANTA PERFEIÇÃO EM UMA FIC SÓ...
    SIM EU TAVA COM SAUDADES DE VOCÊ U_________________________U
    HAHA' SEM PALAVRAS DE TANTA PERFEIÇÃO.

    ResponderExcluir
  5. Obvio que estava com saudades. :)
    CÊ ACHA QUE EU NÃO ESTARIA COM SAUDADES!!?
    Demoro demais pro meu gosto u.u kkk
    Brincadeira.
    Nuuuoooossa! Estava tãao irritada com a minha carinha ('-') que colocou um monte ali ne? kkkk
    Liga não, to chata hoje.
    Como sou lerda, só fui ver o cap hoje!
    Enfim..
    Tá perfeito!!

    Não vou falar 'posta logo' pois disse que vai fazer maratona certo?
    VAI FAZER NE???????
    Tem que fazer, não vivo sem sua fic! *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aww, eu tava preocupada contigo coisa! Demorou pra comentar... achei que tinha me largado :(
      Vish, reclama não u.u

      Awwn, vou sair pra fazer a maratona agora u.u *-*

      Beijemi :*

      Excluir
    2. *----*
      Nunca que ia te largar! :)

      Excluir
  6. Seguidora nova na área :D
    Joe chamando a Demi de gatinha é tão ::: casa comigo *-*
    OMG, TA MUITO PERFEIO :3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra mim, joe chamando a Demi de gatinha ta tão :::::::::: safado '-'
      kkk obrigada e bem vinda :D

      Excluir
  7. ameiiiiiiiii, nem precisa dizer né por favor POSTA LOGOOOO...

    ResponderExcluir
  8. Ahhhhhhhhhhhhhh essa e a fic mais perfeita do mundo .. o joe consegue se extremamente safado e fofo ao mesmo tempo .. ta perfeito o capitulo muito lindo .. posta logo !! e a pior coisa e quando voce some assim .. ficamos morrendo de saudades de voce !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MAIS PERFEITA DO MUNDO? Não me iluda............

      O Joe é foda, é 1 trilhão de coisas ao mesmo tempo!

      AAAwn, todo mundo com saudade de mim! ~cora~
      coisa fofa :3 beijemi :*

      Excluir